ÚLTIMAS NOTÍCIAS

BANCO DO BRASIL
ECONOMIA
RADAR ON-LINE
  • Futuro ministro recebeu 450 00 reais da família de Cachoeira

    Escolhido por Michel Temer para assumir o Ministério das Cidades, o deputado Alexandre Baldy terá dificuldades para se dissociar de um dos mais famosos contraventores do país, Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

    Desde 2012, quando uma CPI investigou o bicheiro, a relação entre os dois é pública, notória e constrangedora. Cachoeira derretia-se ao se referir ao agora futuro ministro como “menino de ouro”.

    Mas a prestação de contas da disputa eleitoral de 2014 revela mais: a família Almeida Ramos ajudou a financiar o plano de poder do pupilo.

    A empresa JC Distribuidora de Medicamentos, que pertence a Sebastião de Almeida Ramos Filho, irmão de Carlinhos Cachoeira, doou 450 000 reais à campanha de Baldy naquele ano.

    A JC é velha conhecida das autoridades. Em 2012, segundo “O Globo”, a empresa foi investigada pela Receita por movimentações atípicas, 66,8 milhões de reais em dois anos.

    A tomar pelo montante que passa pelo caixa da distribuidora, um agrado de 450 000 reais para um amigo que pode valer ouro, não há de ser nada.


    Arquivado em:Política
  • Ministério do Esporte não divulga agenda de Picciani há 1 semana

    Leonardo Picciani não aparece num evento público desde o dia em que a Polícia Federal acordou o pai dele, Jorge Picciani, antes do café da manhã, na terça-feira (14), dia da Operação Cadeia Velha.

    Que Picciani está sumido já se sabe. Chama a atenção, porém, o ministério que ele comanda sequer dar satisfações sobre o paradeiro do chefe da pasta.

    Desde o dia 13, as agendas do ministro não são publicadas, como se o o salário dele não fosse pago com dinheiro público e ele não precisasse prestar contas ao contribuinte.


    Arquivado em:Política
  • Defesa diz que Adriana Ancelmo ‘mantém a fé’ em absolvição

    A defesa da ex-primeira dama Adriana Ancelmo entregou recurso ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região em que apela contra a pena de 18 anos de cadeia por lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa.

    No documento de 13 páginas, os advogados afirma que a ex-primeira-dama “mantém a fé, com muita dificuldade, diante do quadro de publicidade opressiva que assolou sua família, sobremodo os seus filhos – em um julgamento do apelo acusatório “à luz da prova e do direito”.

    Adriana Ancelmo foi condenada pelo juiz Marcelo Bretas, que cuida da primeira instância da Lava-Jato no Rio, em setembro. Segundo a sentença, ela ocultou e movimentou cerca de R$ 6,5 milhões em joias nas joalherias Antonio Bernardo e H.Stern. Outros R$ 1,5 milhões foram gastos em suas despesas pessoais

     

     


    Arquivado em:Política
  • Baldy passa pelo mesmo problema que Maggi no PP

    Em termos de Centrão, tudo é possível. Ao falar do PP, então, é necessária uma boa dose de “suspensão de descrença”. A última agora é a bucha que Alexandre Baldy vai ter que administrar ao se filiar ao partido.

    Há uma ala do PP chiando com a filiação do deputado apenas no dia de sua posse como ministro. O atual ministro da Agricultura Blairo Maggi também passou por isso ao trocar o PR pelo seu atual partido.

    No fim das contas, isso pouco importa. Baldy é o nome de Rodrigo Maia para assumir o ministério.


    Arquivado em:Política
  • Estreia de ‘Liga da Justiça’ atrai 1,8 milhão de espectadores

    Com Ben Affleck, Gal Gadot, Henry Cavill e Jason Momoa, o filme “Liga da Justiça” levou 1,8 milhão de pessoas aos cinemas em seu fim de semana de estreia.

    Os dados são da consultoria ComScore. Só de bilheteria, o longa arrecadou R$ 32 milhões no país.

    A segunda colocação ficou com “Thor: Ragnarok”. O filme foi visto por 287.000 espectadores, e teve renda de R$ 4,8 milhões.

    Em seguida, outra estreia, a trama “Victoria e Abdul – O confidente da Rainha”. A trama protagonizada pela atriz britânica Judi Dench foi assistida por 33.000 pessoas, arrecadando R$ 736 mil.


    Arquivado em:Entretenimento
  • Justiça precisaria de 4 anos sem processos para zerar déficit

    Um levantamento do CNJ expõe o volume de papeis que dormita nas gavetas do Judiciário brasileiro, sobrecarregado em quase todas as esferas.

    Os tribunais de primeira instância precisariam permanecer 4 anos sem que nenhum processo seja distribuído para conseguirem zerar o trabalho acumulado.

    De acordo com o Conselho Nacional de Justiça, a média é de 506 ações para cada servidor.

    O problema será discutido por especialistas de nove países durante o I Congresso Internacional de Direito e Tecnologia, a partir da próxima quinta-feira, em Brasília.


    Arquivado em:Brasil
  • Flamengo pagará cerca de R$ 50 milhões por terreno

    A diretoria do Flamengo não abre nem à própria sombra quanto pagará na compra do terreno em Manguinhos, Zona Norte do Rio, onde planeja construir seu futuro estádio.

    Pois bem, se fizer valer o documento pelo qual garantiu a preferência para arrematá-lo até janeiro, o clube desembolsará aproximadamente 50 milhões de reais.

    O imóvel de 160 000 metros quadrados chegou a ser leiloado por 157 milhões de reais em maio deste ano. Na ocasião, porém, não houve interessados.


    Arquivado em:Esporte
  • Lula enaltece serviços prestados por João Doria

    Lula tem ironizado João Doria em conversas com aliados.

    O ex-presidente diz que o prefeito presta um enorme serviço ao PT todas as vezes em que trabalha para minar a  candidatura de Geraldo Alckmin ao Palácio do Planalto.

    Em se tratando de Lula, é perfeitamente possível que ele ache justamente o contrário. Pelo menos até outro dia, as pesquisas apontam que ele terá muito mais dificuldades para vencer Doria do que Alckmin.


    Arquivado em:Política
  • Rodrigo Maia é pressionado para não regular ‘supersalários’

    Rodrigo Maia sofreu pressão de todos os lados para não votar a regulamentação dos “supersalários”. A mais inusitada partiu de emissários da Rede Globo, em um dos muitos encontros que o presidente da Câmara firmou com a alta cúpula da emissora nos últimos tempos.

    Fato é que, apesar das tentativas contrárias, o deputado não deve colocar impeditivos no andamento do projeto.


    Arquivado em:Política
  • Palestra de Serra vale menos do que a de Huck e Bernardinho

    A empresa Motiveação oferece aos interessados a possibilidade de contratar personalidades para ministrarem palestras – das celebridades a políticos.

    De acordo com o site da prestadora de serviço, uma conversa fechada com José Serra vale aproximadamente 30 000 reais.

    Já figuras como o presidenciável Luciano Huck, o possível candidato a governador Bernardinho e o ator Marcos Palmeira não saem de casa por menos 40 000 reais, segundo a empresa.


    Arquivado em:Política
  • Promotor perde vaga às vésperas de assumir posto no Banco Mundial

    O Brasil estava prestes a indicar um servidor para ocupar uma cadeira de prestígio no Banco Mundial.

    Promotor no Espírito Santo, Marcelo Zenkner já havia sido escolhido para assumir um cargo na vice-presidência de Integridade da instituição, em Washington.

    Rodrigo Janot, ainda no comando da PGR e como presidente do Conselho Nacional do Ministério Público, chegou a autorizar a ida de Zenkner para a capital americana.

    A movimentação, porém, incomodou colegas dele no Espírito Santo. Essa turma recorreu ao CNMP e perdeu, mas não desistiu. Fez carga no próprio Janot, que, pressionado, decidiu revogar a própria decisão.

    Resultado: o espaço que poderia estar ocupado por um brasileiro permanece vago, e o promotor passou a responder a  um procedimento disciplinar no MP-ES por não ter pedido autorização a seus superiores antes de participar do processo de seleção.


    Arquivado em:Brasil
  • Cidade italiana sedia reunião da AB inBev

    A italiana Alba, que nessa época recebe muitos turistas atrás de suas trufas, acaba de sediar uma reunião da Ab inBev (leia-se Beto Sicupira, Marcel Telles). Era tanto jatinho junto que teve até engarrafamento no aeroporto.

     


    Arquivado em:Economia
  • Diretoria da Oi vai ganhar bônus milionário se recuperação vingar

    Se a recuperação judicial der certo, a atual diretoria da Oi vai levar um bônus conjunto de 45 milhões de reais. Com um pote de ouro desses no final do arco-íris, vale a pena se esforçar.


    Arquivado em:Economia
  • OAS não paga prestadores de serviços há meses

    Alguns prestadores de serviços da OAS não recebem da empreiteira há quatro meses.


    Arquivado em:Brasil
  • Anastasia cresce como nome à presidência do PSDB

    Correndo por fora, Antonio Anastasia cresce como um possível nome à presidência do PSDB, alguém que poderia unificar as diversas correntes.


    Arquivado em:Política
  • Bolsonaro já tem um nome em mente para ser seu vice

    Em segundo lugar nas pesquisas, Jair Bolsonaro cogita o nome do evangélico Magno Malta como vice.


    Arquivado em:Política
  • Saúde de Tasso pode determinar disputa pela presidência do PSDB

    Tasso Jereissati viajou para Houston a fim de realizar exames médicos. Dependendo dos resultados, ele pode sair da disputa pela presidência do PSDB.

    Atualização: A assessoria de Tasso ligou para a coluna e disse que o senador já fez os exames de saúde e está tudo bem.


    Arquivado em:Política
  • CBF planeja formar seleção de veteranos para jogos festivos

    A CBF planeja formar uma seleção de veteranos para participar de jogos festivos ao redor do mundo. O técnico seria Carlos Alberto Parreira. O ex-zagueiro Ricardo Rocha já foi convidado para assumir o posto de supervisor.  


    Arquivado em:Esporte
  • Kassab pressiona Planalto a não substitui-lo agora

    Sem mandato, Gilberto Kassab se exasperou ao descobrir que Michel Temer queria substituir, agora, os ministros candidatos em 2018. Ele ligou para o Planalto dizendo que o combinado era sair em março. Deu certo.


    Arquivado em:Política
  • PP rifa Blairo Maggi para conquistar mais espaço na Esplanada

    Blairo Maggi deve se preparar para deixar a Esplanada e voltar ao Senado. Seu partido, o PP, deixou claro que topa entregar a pasta da Agricultura para permanecer com a da Saúde e assumir a das Cidades.


    Arquivado em:Política